A FALTA DE SINCERIDADE DO GOVERNO FÁTIMA BEZERRA ESTÁ MANCHANDO O FILME

15 de Abril de 2019 | 14:07hs
Imagem [0]

Nessa peleja pra determinar quem é o pai da criança, se Robinson Faria ou Fátima Bezerra, meu voto vai para o ex-governador.

Pra quem não sabe do que estou falando, é sobre a declaração de Fátima que foi ela que salvou o contrato do RN com o Banco Mundial e a postagem de Robinson que disse que deixou tudo amarrado e que Fátima não precisou fazer nada.

Em sua postagem, Robinson foi mais convincente, disse tudo o que fez e ainda mostrou vídeo de dirigentes do Banco Mundial à época do final do governo, afirmando que o RN estava em dia com o contrato e tinha tomada as providências para mantê-lo em funcionamento.

Acho que Fátima está caindo na mesma tentação dos políticos tradicionais, usando do mesmo artifício, tenta a todo custo ser a dona da obra, quando não colocou um tijolo sequer.

Fátima vem fazendo isso também e relação a segurança, tentando vender para o público que a redução do número de assassinatos em mais de 30% esse ano é fruto do seu governo.

Eu ainda estou curioso para saber qual é o programa de governo que Fátima está executando na segurança que proporcionou resultados tão magníficos.

Fátima tem que entender uma coisa, credibilidade se conquista primeiramente com a sinceridade nas informações. Não vai morrer ninguém se ela disser que encontrou a parceria com o Banco Mundial em andamento e está fazendo sua parte para ir até o final.

Não mata ninguém ser sincero.

BOLSONARO FAZ MERCADO ENTENDER QUE LIBERALISMO SIM, DESDE QUE NÃO ATRAPALHE O SHOW.

15 de Abril de 2019 | 14:06hs
Imagem [1]

A decepção dos mercados com a intervenção de Jair Bolsonaro no preço do díesel, não foi uma reação de marido traído, foi de marido que pensava que mandava e descobriu que não. O mercado achava que tava dando as cartas.

A defesa do liberalismo econômico de Bolsonaro não vem dele mesmo, acredito até que Bolsonaro não sabe nem ao certo como funciona essa engenhoca. É do Guedes.

Sua intervenção se deveu unicamente ao medo dos caminhoneiros chutarem o pau da barraca com o valor dos combustíveis. O presidente tenta segurar o ibope do governo, antes que caia mais.

Paulo Guedes, ministro da Economia, engoliu em seco o chega pra lá. Ele sim, o liberal autêntico. O problema é que ele tem um chefe.

Decepção? Perda de valor de mercado das ações da Petrobras?

Sim, e daí?

A equipe econômica tem carta branca até para ir na lua, mas alto lá, desde que não atrapalhe o show de Bolsonaro para as arquibancadas.

QUAL FOI O PROGRAMA DE GOVERNO DE FÁTIMA NA ÁREA DE SEGURANÇA COM RESULTADOS TÃO ESPETACULARES?

12 de Abril de 2019 | 07:41hs
Imagem [0]

Na prestação de contas dos 100 dias, a governadora Fátima Bezerra comemorou a redução em mais de 30% do número de homicídios esse ano no Rio Grande do Norte em mais de 30%.

Durante a fala de Fátima ela não mostrou como conseguiu isso. Faltou dizer quais projetos em execução na segurança resultaram nessa redução de mortes.

É simples explicar, porque as reduções estão ligadas a diversos fatores, até nacionais, que não implicam numa ação de governo exclusivo de Fátima, mas de diversas circunstâncias.

Eu estou curioso de ouvir a governadora explicar como conseguiu esses números fantásticos de redução de assassinatos. Seria histórico conhecer um programa de segurança tão exitoso.

FÁTIMA QUER ACABAR COM ANALFABETISMO NO RN. É PROGRAMA DE GOVERNO OU LISTA DE DESEJO?

12 de Abril de 2019 | 07:39hs
Imagem [0]

No power point que apresentou por ocasião dos 100 dias de governo, a governadora Fátima Bezerra disse que até 2025 terá acabado com o analfabetismo no Rio Grande do Norte.

Como diria a deputada federal Tábata Amaral, o anúncio de Fátima está mais para lista de desejos do que metas de governo.

É simples, a governadora se esqueceu de dizer como vai fazer isso, com quais projetos, com quais investimentos.  E se não disse é porque não os tem, não sabe como chegar a esse objetivo.

Apenas anunciou como lista de desejos.

WALTINHO ESTÁ ATERRORIZADO COM O POSSÍVEL RETORNO DE HENRIQUE AO COMANDO DO MDB

11 de Abril de 2019 | 16:45hs
Imagem [2]

O racha na família Alves após publicação do deputado federal, Walter Alves, de que se Henrique voltar ao comando do MDB potiguar, ele e o pai (ex-senador Garibaldi Filho) sairiam imediatamente da sigla, tem razões mais profundas do que a mídia conhece.

Enquanto Garibaldi tinha alguma voz ativa nas decisões políticas familiares, conseguiu apaziguar o clima de animosidade entre Waltinho e Henrique.  Delegou a Henrique a voz de liderança e segurou Waltinho para aguardar sua vez. Hoje não consegue mais.

Waltinho é o que restou com mandato político na família Alves. E quer agora impor seu ritmo. Ele se acha o sucessor natural. É a bola da vez.

O retorno cada vez mais explícito de Henrique ao cenário político, ameaça a soberania de Waltinho na condução política do grupo. A sombra cresce a cada dia.

Henrique é ícone político no MDB, foi seguido pelos seus liderados sem contestação. A voz que faltou ao partido na bisonha participação na última campanha eleitoral do Estado.

Enquanto que Waltinho até hoje não demonstrou luz própria, é ainda apenas um herdeiro do espólio eleitoral de Garibaldi Filho.

Resta agora esperar pelo futuro para assistirmos se Waltinho se afirma como líder máximo do MDB no Rio Grande do Norte e com capacidade de conduzir o partido. Ou se Henrique retoma a liderança política que sempre exerceu nos bacuraus potiguares.

E como deixou claro Waltinho: é um ou outro.

A volta de Henrique sucumbe com Waltinho.

OS 100 DIAS DE FÁTIMA REPETEM A MESMICE DOS OITO ANOS DE ROSALBA E ROBINSON

11 de Abril de 2019 | 16:43hs
Imagem [0]

Ainda não fiz nenhum comentário sobre os 100 dias do governo Fátima Bezerra porque não tenho nenhum elemento novo a acrescentar as várias análises que estão postadas nas redes sociais mostrando um governo fraco e sem direção.

Vou então apenas escrever mais do mesmo.

Colocando dentro de um saco os quatro anos de Rosalba, os quatro anos de Robinson e os 100 dias de Fátima, misturando bem, juro que não consigo diferenciar um do outro em nada.

Fátima está sendo igualzinha aos seus antecessores. Pior, eu não diria.  Igual.

Fátima até agora não me convenceu de que esteja fazendo algo importante pelo futuro do RN.

Não venham tentar me convencer que governar tendo como horizonte apenas pagar em dia a folha dos servidores é algo que mereça elogios.

Isso sem falar nessa balela que vender a antecipação dos royalties e fazer uma montanha de empréstimos é solução para pagar dívidas. Qualquer dona de casa prova pela sua economia doméstica por A+ B que isso é um poço sem fundo.

Fátima não apresentou nada de importante. Nenhum projeto inteligente, nenhuma solução digna de um bom gestor, nenhuma proposta inovadora.

Penso que a gestão de Fátima só vai pra frente se o Brasil for pra frente e arrastar o RN junto para um ciclo positivo. No que depender da gestão isolada da nossa governadora petista, o buraco vai permanecer bem fundo.

Passaram os 100 dias, vamos agora esperar os 6 meses.

REAÇÃO DE ALGUNS POLÍTICOS CONTRA BANCADA FEDERAL É OPORTUNISMO ELEITORAL

09 de Abril de 2019 | 09:52hs
Imagem [1]

Parte da bancada federal do RN que votou pela retirada de parte das emendas do orçamento da União destinadas a Natal, está sendo crucificada pela imprensa da capital e por meia dúzia de políticos oportunistas de plantão.

Com dedo em riste, a turma que quer colher seus dividendos eleitorais da questão, tenta demonizar quem ousou tirar dinheiro destinado a Natal.

Usando de verdades parcialmente deturpadas, esquecem de explicar o que aconteceu.

Primeiro, houve um contingenciamento de parte das emendas, obrigando as bancadas a reduzirem o valor destinado a cada emenda.

Segundo, esse contingenciamento exigiu que as emendas fossem obrigatoriamente destinadas a obras continuadas, ou seja, só poderia destinar dinheiro para obra nova, quando a obra anterior estivesse concluída.

Terceiro, os parlamentares ficaram divididos entre a possibilidade de reduzir igualmente todas as emendas ou escolherem prioridades e manterem integralmente o dinheiro das emendas para estas prioridades.

Quarto, eles decidiram por focarem as prioridades e escolheram três: saúde, segurança e educação.

A emenda destinada para o terminal turístico da Redinha não se enquadrava nas prioridades.

As manchetes em alguns sites de notícias foram: “deputados traíram Natal na calada da noite” ou “bancada esqueceu de Natal”.

Nada disso ocorreu, o que houve foi uma escolha de prioridades, perfeitamente justificável e que demonstra preocupação com temas essenciais.

Infelizmente, na política o oportunismo anda bem distante da racionalidade administrativa.

PAGAR EM DIA NÃO É PAGAR NO MEIO DO MÊS, MESMO QUE SEJA PARA COMPENSAR ATRASADOS.

09 de Abril de 2019 | 09:51hs
Imagem [1]

Para pagar a folha de abril, o Governo do Estado teve que negociar com a Assembleia o atraso no repasse do duodécimo que seria dia 20, para o final do mês.

Tudo bem que a Assembleia tem dinheiro sobrando e não vai fazer falta, isso todos já sabemos, mas essa engenharia orçamentária do Governo é que soa estranha.

Sabemos que a governador Fátima Bezerra inventou essa história de pagar folha no meio do mês para amenizar o atraso dos salários. Foi uma compensação.

Considerando que o Governo já avisou que só paga os atrasados se entrar dinheiro extra, então, resta manter a palavra de pagar o mês dentro do mês.

Dentro do mês é pagar até o último dia.

Fazer malabarismo de caixa para pagar no meio do mês a título de compensação por atrasos não é uma necessidade.

BOLSONARO SINALIZA COM NOVO MINISTRO DA EDUCAÇÃO QUE PRIORIDADE É COMBATER A REVOLUÇÃO COMUNISTA

09 de Abril de 2019 | 09:49hs
Imagem [0]

Quando ficou claro a demissão do ministro Ricardo Vélez, pensei comigo mesmo se aquela mudança poderia ser um sinal de que o presidente Jair Bolsonaro aproveitaria a ocasião para sinalizar mudanças nos rumos.

Os números das pesquisas revelando que parte do eleitor que votou nele estava se decepcionando com os rumos tomados e que havia perda de confiança, deveriam servir para Bolsonaro fazer ajustes na rota.

Pois bem, aguardei então o nome do novo ministro da Educação.

O que esperava era que fosse alguém com certa sensatez, com experiência, sem criar moinhos de ventos em batalhas paranoicas.

A escolha de Bolsonaro foi uma demonstração que ele não aprendeu lição nenhuma após 100 dias de Governo e após ver parte do seu próprio eleitorado se distanciando está disposto a continuar bancando a guerra contra a revolução comunista.

O cara escolhido para a Educaçã0, Abraham Weintraub, consegue ter um perfil mais preocupante do que o Vélez.

Ele costuma se referir aos esquerdistas com palavras de baixa calão, cita Lula como sendo o “nove dedos”, diz que os líderes da revolução comunista são os altos empresários, os donos da grande mídia, os donos do monopólio.

O novo ministro diz que o crak foi introduzido no Brasil de forma planejada para alimentar a revolução comunista.

E para completar, sugere que universidades nordestinas não ensinem filosofia ou sociologia, mas que ensinem agronomia, para que os nordestinos saibam plantar e colher.

Está claro que Bolsonaro não escolheu Abraham pelo seu conhecimento na área educacional, aliás que ele mal conhece, visto que é um economista de carreira, especialista nos mercados financeiros.

Ele foi escolhido pela militância ideológica, para criar no Ministério da Educação a luta contra a revolução comunista.

Abraham agrada Bolsonaro porque  diz com certa eloquência o que Bolsonaro diz mal.

Bolsonaro deixa claro que seu governo não está preocupado em ser racional.

O CURRÍCULO DO NOVO MINISTRO DA EDUCAÇÃO

08 de Abril de 2019 | 12:05hs
Imagem [0]

Abraham Weintraub, novo ministro da Educação.

É formado em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo.

Atuou no mercado financeiro por mais de 20 anos.

Trabalhou no Banco Votorantim por 18 anos, onde foi economista-chefe e diretor.

Foi sócio na Quest Investimentos.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br