MOVIMENTOS DESTE DOMINGO DÃO A BOLSONARO A OPORTUNIDADE DE RECOMEÇAR DE NOVO SEM CHUTES NAS CANELAS

27 de Maio de 2019 | 11:33hs
Imagem [0]

Fazendo uma rápida avaliação dos movimentos de ontem no Brasil em defesa do presidente Jair Bolsonaro, tenho algumas ponderações a fazer.

Não foi um sucesso retumbante, tampouco um fracasso. Houve significativa participação em algumas capitais, em outras um pouco mais fraco.

No meu entender, o movimento foi na sua essência um movimento de defesa do governo de Bolsonaro, essa história que foi em defesa da reforma da previdência ou do pacote anticrime foi apenas uma forma de justificar o título.

A grande maioria doa participantes integram o que a mídia vem chamando de bolha. Ou seja, a fatia da população que é bolsonarista de carteirinha, defende o presidente e faz parte do grupo de combate nas redes sociais.

Estima-se que nas ruas do País estiveram entre 1,2 e 1,5 milhões de pessoas. Trata-se de um número pequeno quando considerado o total de eleitores de Bolsonaro (quase 58 milhões de brasileiros) e comparado aos movimentos anti-PT anteriores.

A lição que vamos tirar do movimento de ontem depende das atitudes da presidência nos próximos dias.

Ao longo do dia ouvimos entrevistas e vimos postagens do presidente Bolsonaro e do seu staf falando em democracia, em respeito as instituições, em acreditar num Brasil melhor pra todos.

Contudo, os atos do governo não coadunam com esse discurso conciliador e constitucional. Os cortes das universidades após o discurso da balbúrdia, o discurso de harmonia com o Congresso após as insinuações do toma-lá-dá-cá é que não combinam entre si.

Bolsonaro pode continuar preferindo governar para a bolha e manter-se em confronto com a mídia, Judiciário, Congresso e instituições ou pode mudar o rumo e buscar a articulação com bom senso e propositiva.

A peteca voltou às mãos do presidente, assim como foi logo no início do governo, quando todos esperavam que ele propusesse um bom jogo.  O governo preferiu distribuir botinadas nas canelas de todo mundo. Vamos ver se nesta nova oportunidade, a história será diferente.

AS MUITAS PERGUNTAS AINDA SEM RESPOSTAS NO ESQUEMA DE DESVIO DE DINHEIRO DENTRO DA ASSEMBLEIA

27 de Maio de 2019 | 11:32hs
Imagem [0]

Quem teve a curiosidade de ler a denúncia do Ministério Público na operação Canastra Real, fica com muitas dúvidas sobre esse estranho desvio de recursos públicos dentro da Assembleia Legislativa do Estado.

Até agora a então chefe de gabinete da presidência da Assembleia, Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho é acusada de comandar o esquema e ter se beneficiado do dinheiro desviado.

O que mais chama a atenção é que o esquema tinha envolvido o mais alto escalão do Legislativo, boa parte do gabinete da presidência da Assembleia.

Ana Augusta apenas um mês após ter sido nomeada chefe de gabinete começou a operar o esquema que desviou mais de 1 milhão de reais. Como ela conseguiu de forma tão rápida montar um esquema desses?

Ela indicou e nomeou sem que seus superiores soubessem,  6 pessoas no mais alto cargo do gabinete da presidência da assembleia, o de assessor técnico da presidência, cujo salário bruto era de R$ 15.468,64.

A assembleia pagava por mês aos seis assessores nada menos que R$ 92.811,84 em valores brutos. O MP descobriu que cada um dos nomeados ficava com apenas 500 reais e devolvia o resto. Para onde ia esse dinheiro?

Segundo a denúncia, na conta bancária de Ana Augusta em 2015 entrou pouco mais de 200 mil reais além do seu salário, mas o esquema desviou mais de 1 milhão de reais, para onde foi esse restante? Foi entregue a quem?

Nenhum desses seis nomeados dava expediente. Ou seja, os mais altos cargos comissionados do gabinete da presidência eram todos fantasmas e ninguém deu conta disso?

Quem assinou as nomeações?

Os seis nomeados foram chamados a depor no MP e quem acompanhou os seis, como advogado, foi um assessor jurídico da Assembleia.

Existem ainda muitas perguntas sem respostas.

Muitas dúvidas a serem esclarecidas.

PESQUISA SOBRE A GESTÃO DE FÁTIMA BEZERRA INDICA QUE GOVERNO NÃO É UM DESASTRE, TAMPOUCO UM SUCESSO

27 de Maio de 2019 | 11:31hs
Imagem [0]

O Instituto Consult divulgou uma pesquisa contratada pela FIERN em que faz uma avaliação dos cinco primeiros meses da gestão de Fátima Bezerra.

31,4% acham o governo ótimo ou bom

41,6% acham regular

18,1% acham ruim ou péssimo

De imediato, a governadora gravou um vídeo de agradecimento pela aprovação e publicou nas redes sociais.

Minha leitura com essa pesquisa é que a gestão não é um desastre. Também não é um sucesso.

Tudo bem que a governadora faça festa com os números, mas não é para tanto.

O maior índice está no regular, 41% não aprovaram e nem desaprovaram a gestão. Preferem esperar mais.

O que Fátima tem que comemorar é o fato de sua gestão não ter degringolado tão cedo e existir na soma de ótimo, bom e regular cerca de 72% que lhe dão um voto de confiança.

Mas também é bom observar o desconfiômetro ligado. 1 em cada 3   diz que a gestão está ótima ou boa o que significa que tem 2 em cada 3 que pensam diferente.

Só para efeito de alerta, tanto Robinson como Rosalba no início da gestão tinham números de aprovação parecidos com os que Fátima tem hoje.

Sinal de que não é tempo de comemorar. É tempo de trabalhar.

RICARDO MOTA JÁ AVISOU QUE SE CAIR, NÃO CAIRÁ SOZINHO

25 de Maio de 2019 | 09:27hs
Imagem [1]

A expectativa é que o julgamento da próxima terça-feira na Primeira Turma do STF, não acabe bem para o ex-deputado estadual Ricardo Mota. Ele vai ser julgado na ação penal que apiura desvio de recursos no IDEMA do Rio Grande do Norte.

Segundo a acusação, Ricardo teria operado um esquema que desviou R$ 19 milhões dos cofres do Idema.

A ação tramita no STF porque mais da metade dos desembargadores com assento no Tribunal de Justiça do RN se declarou suspeito para julgar a ação.

Além das delações premiadas que apontaram Ricardo como mentor do esquema, supostas provas documentais e provenientes de interceptação telefônica serão usadas pelo MP para conseguir a condenação.

Caso seja condenado, Mota terá que cumprir pena de imediato, uma vez que a ação já tramita na última instância.

Muitas lideranças políticas do RN acompanham com grande interesse o julgamento, uma vez que Ricardo Mota já declarou que se cair, não cairá sozinho.

ESTADO DEVERIA PAGAR EM UM ÚNICO DIA DIA PARA NÃO CRIAR PRIVILÉGIOS

25 de Maio de 2019 | 09:26hs
Imagem [0]

A governadora Fátima Bezerra promete em breve divulgar um calendário de pagamento até o final do ano.

A iniciativa é boa, porque dá tranquilidade ao servidor para planejar seus futuros compromissos políticos.

Tem só um detalhe que discordo da atual forma como Fátima vem pagando os salários.

Não sou adepto do modelo que paga os salários fatiados ao longo do mês. Uns recebendo antes e outros depois.

Acho que o correto mesmo é no último dia do mês o salário de todo mundo está integralmente depositado na conta.

Assim, o governo não precisa passar o mês todo catando moedas para no dia 15 pagar uma parte, dia 20 outra parte, dia 25 mais outra e dia 30 o restante. O certo é dia 30 todo mundo receber de uma vez e ponto final.

Até se justificou no início o fatiamento diante de tantos atrasos, mas agora, com a garantia de pagamento em dia, penso que o certo é fechar a folha de uma vez só e no último dia do mês.

IDA OU NÃO DE BOLSONARO AS MOVIMENTAÇÕES DE DOMINGO DEPENDE DO SUCESSO DA EMPREITADA

25 de Maio de 2019 | 09:25hs
Imagem [0]

Expectativa geral sobre os resultados das mobilizações convocadas para amanhã em defesa do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro já disse que não vai participar das movimentações.

Mas, acho que ele apenas tirou uma carta de segurança. Se ele anuncia que irá e as movimentações forem um fracasso então ele emprestaria sua cara a esse fracasso.

Penso que as mobilizações forem um sucesso em todo o Brasil, Bolsonaro vai sim aparecer no meio delas para contabilizar a seu favor.

Continuo achando que essa mobilização é um tiro no pé, porque não tem como o governo sair ganhando nessa cartada.

Tenha gente ou não tenha será sempre negativo para o governo.

Se tiver muita gente, o risco de Bolsonaro achar que tem carta branca para partir para o enfrentamento com as instituições vai ser grande. E o risco de insuflar os mais radicais fará com que a divisão do País seja mais acentuada do que já é.

Se der pouca gente, acaba o governo Bolsonaro, que não terá apoio nem das ruas.

O fato é que Bolsonaro não precisaria convocar às ruas cinco meses após tomar posse, sua eleição nas runas já era garantia suficiente para exercer o mandato com plenitude.

Chamar um plesbicito nas ruas era uma cartada desnecessária. Porque o resultado pode não ser o esperado.

Enfim, vamos aguardar os fatos deste domingo e ver como amanhece a segunda-feira.

CRIOU-SE UMA EXPECTATIVA QUE EX-CHEFE DE GABINETE NA ASSEMBLEIA FAÇA DELAÇÃO PREMIADA

25 de Maio de 2019 | 09:24hs
Imagem [0]

Até agora pouco se sabe sobre o que está pensando a ex-chefe de gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho. Ontem se aguardava sua transferência do Quartel da Polícia Militar do RN em Natal para um presídio.

Tem muita gente apostando num acordo de delação.

Afinal, ter contra si uma prisão preventiva decretada, quando o tempo de prisão é indefinido, não é coisa fácil de encarar.

Principalmente se houver outros envolvidos que estejam soltos e no bem bom.

PRÓXIMO VICE A COMPOR CHAPA COM ROSALBA EM 2020 SERÁ TAMBÉM UNGIDO COMO SUCESSOR

22 de Maio de 2019 | 22:10hs
Imagem [1]

Quando Rosalba Ciarlini definir o nome para ser vice e compor com ela a chapa que disputará a Prefeitura em 2020, não estará apenas escolhendo um parceiro ou parceira de chapa.

A escolha terá mais significado que isso.

Rosalba deverá estar escolhendo também um sucessor ou sucessora.

Após a eleição de 2020, caso seja reeleita, a atual prefeita terá dois caminhos pela frente.

Deixa a Prefeitura em 2022 e tenta ser candidata ao Senado para encerrar com chave de ouro sua trajetória política.

Deixa a Prefeitura em 2024 e se aposenta da vida política.

Nos dois cenários, o vice terá uma missão. De ser o sucessor.

É natural que após 2020, sendo vitoriosa e quando não mais poderá disputar um terceiro mandato consecutivo, Rosalba planeje fazer do vice o seu sucessor.

E se estiver pensando em disputar o Senado em 2022, então renunciará para que o vice siga como sucessor.

Em qualquer das hipóteses o vice de Rosalba terá uma missão pela frente.

Quem deverá ser o escolhido ou a escolhida para esta missão?

Entre as diversas opiniões que já escutei, quase ninguém aposta em Naiara Gadelha, a atual vice, como a futura escolhida.

Todos os pensamentos apontam para alguém mais próximo, de maior confiança.

A eleição de 2020 para o rosalbismo, portanto, não será apenas de escolha de prefeito e vice, mas para unção de um sucessor.

Quem será?

DEPUTADORES E SENADORES ESTÃO SE COÇANDO PRA IMPOR DERROTAS A BOLSONARO NO CONGRESSO

22 de Maio de 2019 | 21:12hs
Imagem [0]

O governo Bolsonaro pode até aprovar uma coisa ou outra pontualmente no Congresso, mas está longe de ter uma bancada de apoio significativa.

Os deputados e senadores podem até aprovar uma coisa ou outra dependendo da pressão que venha das ruas ou de setores organizados, mas jamais aprovará algo somente para agradar ao governo.

E em toda oportunidade que tiver, o Congresso Nacional vai impor derrotas a Bolsonaro.

E eu não culpo os congressistas por isso.

Ora, a todo momento o governo tenta dizer a população que deputados e senadores são da velha política, são chantagistas e querem extorquir o erário. Como então pretende ter apoio deles?

De manhã o presidente diz que o País é ingovernável por causa do Congresso, de noite quer que os deputados aprovem o que ele quer e do jeito que ele quer.

Esquece que assim como Bolsonaro foi eleito pelo povo, os congressistas também foram. O voto dado a Bolsonaro não é mais puro que o voto dado aos parlamentares.

E como Bolsonaro derrubou as pontes e está queimando os navios, não há mais canal de comunicação com o Congresso. O diálogo já não existe.

As consequências serão ainda piores do que vemos hoje.

ESTRATÉGIA DO ROSALBISMO PODE INCLUIR ROMPIMENTO COM SANDRISMO PARA DIVIDIR A OPOSIÇÃO.

22 de Maio de 2019 | 10:54hs
Imagem [0]

Eu não descarto a hipótese que o ex-deputado Carlos Augusto Rosado tenha interesse numa eventual candidatura em 2020 a prefeita da ex-deputada Larissa Rosado. Larissa contra Rosalba.

Vou explicar minha linha de raciocínio.

Carlos sabe que num tete-a-tete com a oposição a reeleição de Rosalba correria enorme risco, uma vez que as pesquisas atuais mostram as intenções de votos em Rosalba num patamar muito baixo em comparativo com as outras eleições municipais que ela disputou.

O cenário ideal para Rosalba é que a oposição se fragmente em várias candidaturas. Atualmente os partidos de oposição estão conversando e ensaiando uma junção de forças.

Neste cenário de união dos opositores, uma candidatura de Larissa seria interessante para o rosalbismo tentar se apropriar de parte deste eleitorado de oposição. Dividir a disputa em três palanques, pelo menos.

O raciocínio é que Rosalba tem seu quinhão de votos preservado e não perderia muitos votos com uma chapa tendo Larissa na cabeça.

A mordida que esta chapa daria no aprisco oposicionista seria mais significativa.

É claro que o eleitor não concordaria com um jogo combinado desse porte, para isso, o rompimento precisaria parecer verdadeiro.

Para Larissa, a estratégia não seria de todo ruim. Entrando na disputa majoritária, promove seu nome para a eleição estadual quando tentará retorno à Assembleia Legislativa e traria.

Por enquanto trato isso como uma hipótese de estratégia eleitoral.

Fiquemos atentos para ver os próximos passos.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br